quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Singela homenagens as mulheres...



Eu era a Eva criada para a felicidade de Adão.
Mais tarde fui Maria dei á luz ao que traria a salvação!
Mas isso não bastaria para eu encontrar perdão.
Passei a ser Amélia a mulher de verdade.
Pra a sociedade não tinha menor vaidade.
Mas sonhava com igualdade.
Muito tempo depois decidi não dá mais.
Quero minha dignidade tenho meus ideais.
Hoje não sou esposa ou filha.
Sou pai, mãe, arrimo de família.
Sou caminhoneira, taxista, piloto de avião;
Policial feminina, operária em construção.
Do mundo peço licença para atuar onde quiser.
Meu sobre nome é competência.
E meu nome é MULHER!