sábado, 24 de setembro de 2011

O Assunto é: Respeito!


Num passado não muito distante, havia mais gentileza, mais respeito, palavras de Honra.
Damas e Cavalheiros conviviam em perfeita harmonia. Existiam cumprimentos diários entre todos na rua, e em cada esquina.


Hoje, não mais isto acontece. Mesmo porque é complicado cumprimentar ‘centenas de pessoas diferentes’ por dia. Outros tempos. Outra maneira de ver o mundo. Novos desafios, outros perigos.
Surgiu o progresso, a tecnologia, que possibilitou muitos avanços. Mudanças necessárias para o crescimento de um País, de pessoas.

Mas, muitos esquecem do fundamental: o Respeito.

Hoje, todos se ‘atropelam’. Ninguém mais respeita o sentimento do outro. Os valores humanos estão ausentes da vida de muitos, o que não quer dizer de todos – felizmente.

A ausência do Respeito entre as pessoas, a vontade de ‘ter’ sempre mais e mais. O egoísmo que invade o coração de alguns, não percebe o quão doloroso momento tal pessoa pode estar passando. Julgam, cobram, criticam, apontam!

De todas as maneiras tentam ‘abrir o olho’ dessa pessoa dizendo: acorde. Mas não é tão simples assim. Seja em que setor da vida a que se refere, cada um deve saber de sua dor, de seu ‘martírio pessoal’. Ou seja, é fácil falar, difícil mesmo é fazer.
Por outro lado, mesmo que se sabe que tudo é questão de ‘mudar o foco’, reagir, resistir e se superar bravamente perante decepções e ou frustrações e seguir em frente, não temos o direito de pensar que o outro ‘tem que’ agir assim.
Cada um dá o que tem. Cada um vive à sua maneira. E não respeitar isso é insultar o Ser no outro. É passar por cima de seus princípios, de seus pontos de vista, e isto machuca.

Respeitar a condição do outro, entender um momento, sem questionar, sem interferir: isso é Respeito.
Reconhecer as diferenças de cada um, perceber que ninguém é igual a ninguém, ter o bom senso de se colocar no seu lugar: isso é Respeito.

Quando o outro toma uma decisão e esta decisão aos nossos olhos é ‘loucura’, e por mais que tentamos falar o contrário e esta pessoa seguir em frente ainda assim – na sua verdade, calar-nos: isso é Respeito.

Infelizmente na atualidade percebe-se o contrário! É cada um por si e Deus por todos. Palavras verdadeiras de carinho? Alguém reconhecer o Verdadeiro Valor de um Sentimento? De uma pessoa?

Dizem amar, dizem confiar, dizem respeitar. Mas no primeiro deslize, na primeira queda, são os primeiros a estarem com as mãos ‘cheias de pedras’, acusando, julgando, tirando conclusões precipitadas, esquecendo de todo o ‘Bem’ que até então se fez.
Não respeitam o Sentimento do outro. Não respeitam o Silêncio do outro. Não respeitam o Interior do outro.

Pessoas assim são marcadas por decepções e frustrações, não conseguindo mais demonstrar seus verdadeiros sentimentos, e quando tentam isto fazer, o fazem com receio. O receio do engano. O receio do: será que errei novamente? Será que são todos iguais?
Esquecem que existem ‘pessoas e pessoas’. Que são todos diferentes, que nada se repete. Na vida não existe ‘duplicata’. Tudo é único, sempre.E julgar uma pessoa que tenta nos mostrar que é ‘diferente’, que através de atitudes e de exemplos nos mostra isso e ainda assim duvidar, questionar, julgar, sem dúvida alguma, também é falta de respeito.

Existe aquele que fala através do Silêncio. Ultrapassar e tentar romper este Silêncio é falta de respeito.
Há também aquele que fala sem parar, há aquele que mal abre a boca pra falar, como também há aquele que sabe o que fala.
E por mais que alguém assim nos ‘incomode’, por mais que desperte sensações desagradáveis, ainda assim, devemos respeitar o outro. Pois somos humanos, somos ‘falhos’, e quem nos garante que também não despertamos ‘sensações desagradáveis’ em alguns?


É impossível agradar a todos. Aliás, isto é fórmula para o fracasso.

O Respeito é o 'início' de todos os relacionamentos. Junto com ele, vem a Confiança, a Cumplicidade e sem dúvida alguma, o Amor.
Solidificando a união das pessoas que se encontram juntas neste mesmo ‘nível’, que reconhecem o Verdadeiro Valor de um Sentimento, e cultivam diariamente, fortalecendo cada vez mais os laços entre eles.

Por que será que as pessoas têm o costume de dizer, que quando um casal está em ‘pé de guerra’, e estes se insultam, se ofendem, e por vezes até se agridem (o que é um cúmulo) logo dizem: ‘acabou o Respeito – acabou o Amor’. ?

A ausência do respeito entre as pessoas de um modo geral: seja entre filhos, irmãos, amigos, esposos (as), namorados (as) é a ausência de Amor, de consideração pelo outro, de entender o outro, de usar de compaixão e tentar perceber o que se passa no interior do outro. E mesmo que nada se possa fazer, simplesmente Silenciar.
Ter a dignidade de saber calar-se no momento adequado e não passar por cima do outro.

E antes de mais nada, respeitar a nós mesmos. Ou seja, reconhecer nosso Valor, reconhecer nossos defeitos e qualidades, reconhecer que assim como o outro, também sentimos, choramos, sorrimos.
Mas estar maduro emocionalmente para perceber as diferenças e não julgar – isto é Respeito. Mesmo que sejam duras verdades, ou imensas mentiras.
O equilíbrio emocional necessário pra seguir adiante, sem extremos, sem exageros.
Sendo apenas a si mesmo...

Um grande abraço.

Muito Obrigada.

Gênice.