domingo, 6 de fevereiro de 2011

Texto Bíblico: Mateus 4:1-111 - Então, foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo.
2 – Tendo jejuado, quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome;
3 – E, chegando a ele o tentador, disse: Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães.
4 - Ele, porém, respondendo disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a Palavra que sai da boca de Deus.
5 – Então o diabo o transportou a Cidade Santa, e colocou-o sobre o pináculo do templo,
6 – E disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te daqui abaixo, porque está escrito: Aos seus anjos dará ordens a teu respeito, e tomar-te-ão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra.
7 – Disse-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor, teu Deus.
8 – Novamente, o transportou o diabo a um monte muito alto, e mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles.
9 – E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares.
10 – Então, disse-lhe Jesus: Vai-te, satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás e só a Ele servirás.
11 – Então, o diabo o deixou; e eis que chegaram os anjos e o serviram.
Palavra Introdutória:
Jesus tinha sido ungido pelo Espírito Santo para a Obra de seu glorioso Mnistério terrreno. Jamais aquela parte do Jordão tinha vivenciado uma cena tão maravilhosa como a do Seu Batismo: Os céus se abriram, o Consolador derramou sua Unção sobre Jesus e o Pai proclamou em alto e bom som a sua filiação divina (Mt 3:16,17).Em ato contínuo, o Espírito Santo o conduz para um cenário completamente diferente; Jesus é levado ao deserto para ser tentado pelo diabo. Mateus 4:1 “Então Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. Revelando a cada um de nós, que o mesmo Espírito que nos unge, também nos leva ao campo de prova, ao deserto, onde grandes desafios nos confrontam e provam a nossa fé em Deus.A exemplo, o rei de Israel e salmista Daví, fala-nos desta verdade no Salmo 23:5; quando o Espírito do Senhor nos unge para a guerra: “Preparas uma mesa na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, meu cálice transborda.”Somos ungidos pelo Espírito para as grandes batalhas da vida, na certeza plena da vitória que temos em Cristo (1 Co 15:57)(1 Jo 5:4)(Lc 10:19)No deserto, Jesus Cristo experimentou da parte do diabo uma terrível tentação em tres fases distintas. Cada uma delas com características bem definidas e com malignos propósitos para derrotar o Filho de Deus. A partir desta cena, podemos aprender com Jesus como vencer a tentação.Jesus foi tentado em tudo, mas sem pecado (Hb 4:15); isto é, em toda sua vida nesta terra, sofreu a tentações, mas venceu-as todas.A tentação de Jesus no deserto em tres situações distintas, nos reporta para tres grandes lições espirituais para nossas vidas, e o Senhor Jesus nos ensina como sermos vencedores.
1. A TENTAÇÃO DE TRANSFORMAR PEDRAS EM PÃES
1.1 Jesus foi tentado pelo diabo, no sentido de usar o seu poder para proveito próprio: transformar pedras em pães no momento de intensa fome (Mt 4:1-4) O objetivo de satanás era produzir na mente de Jesus, que aquelas pedras, se Ele quisesse se tornariam em apetitosos pães . O ataque do inimigo foi exatamente em uma área carente de Jesus naquela hora – ele estava faminto. Lembremo-nos que a queda de toda a raça humana, começou através de uma tentação que apelava para a satisfação pessoal, em detrimento da obediencia a Deus: Genesis 3:6, nos diz “E, vendo a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela.”
1.2 Outra lição podemos colher da tentação de transformar pedras em pães – é a tentação de usar a liderança espiritual, a fama, o renome, a boa oratória, a “pseudo-espiritualidade”, para manipular as massas para se tirar proveito próprio. A exemplo, temos um grande número de falsos pregadores neste tempo, que assim fazem. Ilusionistas de púlpito, que fazem o povo enxergar o que não existe; tudo em nome do avivamento, tudo em nome de Deus. Na mente dos incautos e dos crentes sem base bíblica – eles conseguem transformar pedras em pães, não sabendo eles que ao cairem nesta tentação, estão servindo ao diabo.
1.3 A Resposta de Jesus ao diabo: “Está Escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a Palavra que sai da boca de Deus.” (Mt 4:4)Jesus nos ensina que para se vencer as tentações, precisamos priorizar a Palavra de Deus em nossa vida. Ele está nos revelando que não pode ter vida espiritual plena sem a Palavra de Deus.Jó 23:12 “Do preceito dos teus lábios nunca me apartei e as palavras da sua boca, prezei mais do que o meu alimento.”Jeremias 15:16 “Achando-se as tuas palavras, logo as comi, e a tua palavra foi para mim o gozo e a alegria do meu coração...”

2. A TENTAÇÃO NO PINÁCULO DO TEMPLO (Mt 4:5-7)
2.1 A cena desta tentação não é o terrível deserto, mas em ambiente religioso e sagrado – o Templo, e mais precisamente o pináculo. O termo significa a parte mais alta de um edifício. Jesus agora é tentado na parte mais alta do Templo.
2.2 A tentação no pináculo do Templo – fala de tentações dentro do ambiente religioso e sagrado. Enganam-se os que dizem que ingressar no Reino é estar imune de todo e qualquer ataque satanico, mundano e carnal. A exemplo vemos nosso Salvador Jesus, sendo atacado por satanás no lugar da adoração – o Templo. Uma outra importante lição podemos colher desta parte mais alta do Templo: Quanto mais alto subimos, maior deve ser o nosso cuidado. “Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe que não caia” (1 Co 10:12). Devemos orar uns pelos outros, e nos fortalecer na Fé em Cristo mutuamente; mas, devemos interceder principalmente por nossos líderes espirituais e por aqueles servos de Deus que estão em destaque no Reino de Deus, e que estão fazendo um grande trabalho para Deus. Oremos por aqueles que ocupam o pináculo do Templo, que jamais cedam as tentações tão constantes.
2.3 A proposta do diabo para que Jesus se atirasse do pináculo do Templo estava recheada de Bíblia. Satanás conhece as Escrituras mais do que muita gente; ele citou para Jesus o Salmo 91:11, 12 “Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos. Eles te sustentarão nas suas mãos, para que não tropeces com o teu pé em pedra.” Ambiente religioso somado a citações bíblicas; neste cenário Jesus foi tentado. Não é diferente com todos os filhos de Deus, que diurtunamente servem ao Senhor em sua Casa. Portanto, precisamos redobrar a vigilancia, e que jamais venhamos a sucumbir (Mt 4:7)
3. A TENTAÇÃO DE AMAR O MUNDO (Mt 4:8-11)
3.1 Nesta tentação satanás tem o objetivo de vencer Jesus pela visãoAstutamente de um alto monte, onde a visibilidade é maior, descortina diante dos olhos de Jesus – os reinos deste mundo e a glória deles (Mt 4:8). Esta maligna estratégia é muito antiga, começou lá no Édem (Gn 3:6). Ló foi seduzido pela visão da campina do Jordão e fracassou (Gn 13:10,11). Acã desobedeceu a Deus porque foi vencido por sua gananciosa e carnal visão (Js 7:21), e vemos neste texto “Os 4 terríveis pecados que levaram Acã a morte” : 1º.) “Quando vi entre os despojos...” (Sua queda foi a partir de uma visão corrompida). 2º.) “Cobicei-os” (coração pervertido) 3º.) “Tomei-os” (Atitude pecaminosa) 4º.) “E eis que estão escondidos na terra...” ( Falta de temor de Deus).
3.2 No Sermão do Monte, Jesus nos ensina que a candeia do são os olhos. E que se os nossos olhos forem bons, todo o nosso corpo terá luz (Mt 6:22,23).3.3 Nesta tentação o diabo revela o seu maior desejo – Ser adorado por JesusO verbo adorar de nosso texto bíblico em pauta: “Tudo isto te darei, se prostrado me adorares.” (Mt 4:9), é “proskuneo” (grego), que dá a idéia de curvar-se a tal ponto de beijar os pés. Notai o atrevimento de inimigo; que imediatamente recebe a resposta vitoriosa do Senhor Jesus, dizendo a ele, que este tipo de adoração, somente Deus é digno de receber. “Vai-te satanás, porque está escrito: Ao Senhor adorarás e só a Ele servirás.” (Mt 4:10)

CONCLUSÃO:Nestes tres cenários da tentação de Jesus no deserto pelo diabo, vemos nitidamente, que Jesus foi tentado em tres áreas, tão bem descritas pelo apóstolo João em sua Primeira Carta: “Porque tudo o que há no mundo, a concupiscencia da carne, a concupiscencia dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.” Quando tentou Jesus para que este transformasse pedras em pães (a concupiscencia ou a cobiça da carne); quando tentou Jesus para que este se atirasse do pináculo do Templo (a soberba da vida) e quando tentou Jesus do alto do monte (a concupiscencia ou cobiça dos olhos). Mas, gloria a Deus, nosso Jesus as venceu todas pelo poder da Palavra de Deus (Mt 4:4, 7, 10).


Só no Senhor encontramos repouso!

Todos nós temos necessidade de ter alguém que se comprometa conosco, que abrace a nossa causa, defendendo-nos, ajudando-nos e cuidando de nós. Temos necessidade de ser amados e acolhidos, principalmente nos momentos de dificuldade.

Precisamos tomar consciência de que não estamos sozinhos, porque o próprio Senhor nos prometeu que estará conosco todos os dias da nossa vida, e está sempre ao nosso lado.

É a Ele que devemos recorrer sempre, porque está sempre a nos chamar: “Vinde a mim vós todos que estais aflitos sob o fardo, e eu vos aliviarei. Tomai meu jugo sobre vós e recebei minha doutrina, porque eu sou manso e humilde de coração e achareis o repouso para as vossas almas. Porque meu jugo é suave e meu peso é leve” (Mateus 11, 28-30).

Descansemos em Jesus e deixemo-nos cuidar por Ele. Façamos um ato de entrega de todas as nossas preocupações e inquietações, porque o Senhor sabe como fazer e resolver todas as coisas.

Com confianç
a, aproximemo-nos do Senhor e oremos incessantemente ao longo deste dia:

Jesus, eu confio em Vós!